IMAGEM CURSO_2016_03_NAT_SE02

 

Albert Einstein, em certa ocasião, afirmou que “nem tudo o que pode ser contado conta, e nem tudo que conta pode ser contado”.

Embora ele tenha feito essa afirmativa voltada para seus experimentos físicos, ela muito bem se aplica ao mundo da gestão.

Os números servem de balizas para tomadas de decisões. Quando compõem os indicadores de desempenho, ajudam os gestores a navegar por cenários em contínua mudança e composto por diversas variáveis, as quais precisam ser monitoradas.

Tão importante quanto adotarmos os indicadores como instrumentos de gestão, é adotar a quantidade certa de indicadores. Mais do que isso, precisamos adotar tão somente aqueles que farão diferença na condução da organização em direção aos seus objetivos.

Na fase da concepção dos indicadores, deve ser assegurado o funcionamento prático do processo de obtenção do indicador e ele deve expressar adequadamente a extensão e a multiplicidade de características do fenômeno analisado.

Existem outras questões que devemos levar em conta, também, durante o levantamento dos dados e monitoramento do comportamento estudado pelos indicadores de desempenho.

Aqui vai uma dica preciosa: antes de começar a guiar a sua equipe com base nos indicadores de desempenho, que tal estabelecer os melhores indicadores – e apenas os necessários – a serem utilizados pela sua organização.